A??o, A??es, Stocks, Bovespa, Mercado Financeiro, Op??es

Mural de noticias da Alpha Fintec

TNOnline: Bolsas de NY fecham em alta, com alívio dos Treasuries
As bolsas de Nova York fecharam em alta nesta sessão, em dia de agenda esvaziada e certa disposição dos investidores ao risco. Notícias do setor corporativo impulsionam ações específicas como Boeing e Microsoft, que ajudaram a puxar os três principais índices de Wall Street. O índice Dow Jones fechou em alta de 0,58%, aos 35151,04 pontos, o S&P 500 avançou 0,74%, aos 4547,38 pontos e o Nasdaq ganhou 1,13%, aos 14284,53 pontos.

As bolsas de Nova York fecharam em alta nesta sessão, em dia de agenda esvaziada e certa disposição dos investidores ao risco. Notícias do setor corporativo impulsionam ações específicas como Boeing e Microsoft, que ajudaram a puxar os três principais índices de Wall Street.

O índice Dow Jones fechou em alta de 0,58%, aos 35151,04 pontos, o S&P 500 avançou 0,74%, aos 4547,38 pontos e o Nasdaq ganhou 1,13%, aos 14284,53 pontos.

As bolsas abriram perto da estabilidade e foram ganhando força ao longo do pregão. Um leilão com demanda acima da média de T-bonds de 20 anos impôs pressão aos rendimentos dos Treasuries no início da tarde, sobretudo na ponta longa, abrindo espaço para que as ações ampliassem ganhos.

Em foco, a ação da Microsoft subiu 2,05% depois da notícia de que Sam Altman, ex-CEO da OpenAI, passará a integrar a gigante de tecnologia. "O que está bastante claro é que a rápida movimentação da Microsoft para trazer o chefe deposto da OpenAI encantou os investidores, levando as ações da empresa a um nível recorde", observou o chefe de análise financeira da AJ Bell, Danni Hewson, em relatório.

Mais de 500 dos 770 funcionários da OpenAI assinaram uma carta ameaçando deixar a empresa e se juntar a Altman na Microsoft caso o ex-CEO não seja reintegrado. Para a Arbor Capital, a migração de trabalhadores da OpenAI para a Microsoft comprova que esse tipo de laboratório de inteligência artificial (IA) "não vale muito e as vantagens competitivas são baixas. "Basta ver quão rápido a xAI surgiu com o Grok ou quão fácil foi pra Microsoft tirar as pessoas da OpenAI. O valor em IA vai ficar nas big techs", comentou o sócio da Arbor Matheus Popst.

Boeing também foi destaque, tendo fechado com ganhos de 4,65% após o Deutsche Bank ter elevado a recomendação de compra do papel, de "manutenção" para "compra", citando os números crescentes de entregas de jatos comerciais. As montadoras General Motors (+1,75%) e Ford (+0,68%) subiram na esteira da ratificação do acordo trabalhista com o sindicato de trabalhadores United Auto Workers (UAW), que pôs fim à greve da categoria.

A American Deposity Receipt (ADR) da argentina de petróleo e gás YPF saltou 40%, com a eleição do ultra-libertário Javier Milei como novo presidente da Argentina.