A??o, A??es, Stocks, Bovespa, Mercado Financeiro, Op??es

Mural de noticias da Alpha Fintec

CNN: Bolsas dos EUA fecham em alta com setores defensivos e tecnologia
Os principais índices de Wall Street registraram ganhos sólidos nesta quinta-feira (23), impulsionados pelo forte desempenho de ações defensivas e de tecnologia, entretanto persistiram as preocupações sobre uma possível recessão. Em seu segundo dia de depoimento no Congresso dos EUA, Jerome Powell, disse que o compromisso do Fed, de conter a inflação, é “incondicional”, mas também traz o risco de maior desemprego. O índice S&P 500 fechou em alta de 0,95%. O Dow Jones subiu 0,64%, e o Nasdaq avançou 1,62%.

Os principais índices de Wall Street registraram ganhos sólidos nesta quinta-feira (23), impulsionados pelo forte desempenho de ações defensivas e de tecnologia, que compensaram quedas de grupos economicamente sensíveis, à medida que persistiam preocupações sobre uma possível recessão.

O índice S&P 500 fechou em alta de 0,95%, a 3.795,73 pontos. O Dow Jones subiu 0,64%, a 30.677,36 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq Composite avançou 1,62%, a 11.232,19 pontos.

O índice de referência S&P 500 oscilou entre os territórios positivo e negativo durante a sessão, mas os papéis ganharam força no fechamento do mercado. Os rendimentos dos Treasuries caíram para mínimas em duas semanas, o que deu suporte ao setor de tecnologia e outras ações de crescimento sensíveis aos juros.

Em seu segundo dia de depoimento no Congresso dos Estados Unidos, o chair do Federal Reserve, Jerome Powell, disse que o compromisso do banco central dos EUA de conter a inflação, atualmente em máximas em 40 anos, é “incondicional”, mas também traz o risco de maior desemprego.

Grupos defensivos, considerados apostas mais seguras em tempos econômicos difíceis, foram os setores de melhor desempenho do S&P 500. Entre eles, serviços públicos subiu 2,4%, saúde teve alta de 2,2% e imobiliário ganhou 2%.

O setor de tecnologia avançou 1,4%, com Microsoft em alta de 2,3% e Apple com variação positiva de 2,2%.

O setor de energia caiu 3,8% e dava continuidade à sua recente retração depois de superar o mercado na maior parte de 2022. A Exxon Mobil e Chevron foram os nomes individuais que mais arrastaram no S&P 500, com a Exxon em queda de 3% e Chevron com baixa de 3,7%.