Ação, Ações, Stocks, Bovespa, Mercado Financeiro, Opções

Mural de noticias da Alpha Fintec

Reuters: Mercados europeus renovam ganhos com eleições nos EUA
Os mercados europeus fecharam em alta nesta quarta-feira. A recuperação se deu com os com os resultados parciais das eleições americanas. Ao final da jornada, o índice Stoxx Europe 600 fechou em alta de 1,06%. A eleição intermediária nos EUA veio alinhada com as previsões dos analistas, com Congresso dividido, os Democratas assumem o controle da Câmara e os Republicanos o Senado. Na leitura do mercado, esses resultados poderão dificultar a aprovação da agenda de Trump. O foco agora fica com o final da reunião do Fed, que começou hoje termina amanhã e o temor agora é o crescimento do percentual da taxa de juros.

Os mercados acionários da Europa fecharam as negociações desta quarta-feira para cima. A recuperação se deu com os investidores animados com os resultados parciais das eleições dos Estados Unidos.

Ao final da jornada, o índice Stoxx Europe 600 ficou em alta de 1,06% aos 366.39, em Londres; o FTSE-MIB (Milão) ficou em alta de 1,42% a 19.540; o Ibex 35 (Madri) ficou em alta de 1,99% a 9.167; o DAX 30 (Frankfurt) ficou em alta de 0,83% aos 11.579; o FTSE-100 (Londres) ficou em alta de 1,09% a 7.117; o CAC 40 (Paris) subiu 1,24% a 5.137; e o PSI-20 (Lisboa) subiu 0,76% a 5.015.


O euro opera em alta de 0,15% na bolsa de Nova York ante o dólar em US$1.1455. A libra esterlina segue em alta de 0,28% aos US$1.3146.

A eleição intermediária nos Estados Unidos estava bastante alinhada com as previsões dos analistas, com Congresso norte-americano dividido. Os Democratas assumem o controle da Câmara e os Republicanos o Senado.

Na leitura do mercado, esses resultados poderão dificultar a aprovação da agenda legislativa do presidente Donald Trump.

Ainda sobre os Estados Unidos, o temor agora fica com o final da reunião do Federal Reserve, que começou hoje e termina amanhã. Embora precificada a taxa de juros, o temor segue para o endurecimento do percentual. Pesou também a guerra comercial, que pode tomar outras proporções com o resultado das eleições.

Já na Alemanha, O Conselho de Especialistas avaliaram a possibilidade de uma desaceleração, com riscos comerciais e maiores incertezas globais, destacando a dependência da potência econômica da Europa no comércio internacional.

Entre as ações com ganhos estavam as dos bancos, como o Santander SA, acima de 0,30%, e com o BBVA SA subindo 2%.

Os ganhos das instituições financeiras espanholas ocorreram quando a Suprema Corte do país disse que os clientes, e não os bancos, teriam que pagar um imposto relacionado à hipoteca, fazendo com que as instituições financeiras economizem bilhões de euros.

As ações da cadeia de supermercados Royal Ahold Delhaize NV subiram 6,9%, depois de registrar um ganho de vendas com o forte crescimento nos Estados Unidos.

Indicadores

Na Europa, em setembro de 2018 em comparação com agosto de 2018, o volume de comércio varejista ajustado sazonalmente permaneceu inalterado na Zona do Euro (EA19) e diminuiu 0,1% na União Europeia, de acordo com estimativas do Eurostat, o escritório estatístico da União Europeia. Em agosto, o volume do comércio varejista aumentou 0,3% tanto na EA19 quanto na UE28.

Na Alemanha, em setembro de 2018, a produção industrial registrou alta de 0,2% em relação ao mês anterior, a um preço ajustado sazonalmente e com base no calendário, de acordo com dados provisórios do Departamento Federal de Estatísticas (Destatis). Em agosto de 2018, a figura revisada mostra um aumento de 0,1% (primário -0,3%) a partir de julho de 2018.

Em setembro de 2018, a produção na indústria excluindo energia e construção permaneceu no mesmo nível do mês anterior. Dentro da indústria, a produção de bens intermediários caiu 1,0% e a produção de bens de consumo apresentou queda de 0,3%. A produção de bens de capital aumentou 0,9%. Fora da indústria, a produção de energia caiu 3,3% em setembro de 2018 e a produção na construção aumentou 2,2%.

No Reino Unido, a taxa anual de crescimento dos preços da habitação caiu de 2,5% em setembro para 1,5% em outubro, que é a menor taxa de crescimento anual desde março de 2013. No entanto, isso permanece dentro da nossa previsão de crescimento anual de 0-3% para 2018.

Os preços nos três meses até outubro foram 1,5% maiores do que nos mesmos três meses do ano anterior – desacelerando em relação ao crescimento anual de 2,5% registrado em setembro, e registrando a menor taxa de crescimento desde março de 2013. O preço médio da casa é agora £ 227,869. Os dados são do índice Halifax.