Ação, Ações, Stocks, Bovespa, Mercado Financeiro, Opções

Mural de noticias da Alpha Fintec

UOL: Agropecuária tem pior desempenho do PIB, e indústria, o melhor
O setor agropecuário foi o único da economia a apresentar queda no terceiro trimestre de 2014. A indústria cresceu 1,7% no período, com aumento em todas as áreas. A extração mineral teve o maior crescimento, de 2,2%, seguida por construção civil (1,3%), indústria de transformação (0,7%), e eletricidade e gás, água, esgoto e limpeza urbana (0,1%) e as atividades imobiliárias e de aluguel (0,5%), comércio (0,4%) administração, saúde e educação pública (0,4%).

O setor agropecuário foi o único da economia a apresentar queda no terceiro trimestre de 2014, de 1,9%, na comparação com o trimestre anterior. O dado foi divulgado nesta sexta-feira (28) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), que também apontou crescimento de 0,1% do PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro no mesmo período.

A indústria cresceu 1,7% no período, com aumento em todas as áreas. A extração mineral teve o maior crescimento, de 2,2%, seguida por construção civil (1,3%), indústria de transformação (0,7%), e eletricidade e gás, água, esgoto e limpeza urbana (0,1%).

Nos serviços, o crescimento de 0,5% foi puxado pelas áreas de transporte, armazenagem e correio (1,4%) e intermediação financeira e seguros (0,6%). Também registraram resultado positivo as atividades imobiliárias e de aluguel (0,5%), comércio (0,4%) administração, saúde e educação pública (0,4%), serviços de informação (0,1%) e a categoria na qual entram os outros serviços (0,3%).
Indústria tem o pior desempenho em relação a 2013

Os resultados são diferentes quando é feita comparação com o terceiro trimestre de 2013.

No período, a indústria caiu 1,5%, com destaque negativo para a construção civil (queda de 5,3%). A indústria de transformação, que caiu 3,6%, foi afetada pela redução na produção de veículos, que afeta a fabricação de produtos de metal, máquinas e equipamentos, metalurgia, máquinas e aparelhos elétricos, móveis e produtos de borracha e plástico.

Apresentaram crescimento as áreas de eletricidade e gás, esgoto e limpeza urbana (0,6%), influenciada pelo consumo residencial de energia elétrica e de gás encanado, e a indústria de extração mineral (8,2%), beneficiada pelo aumento da extração de petróleo e gás natural.

No período, a agropecuária cresceu 0,3% devido, principalmente, ao bom desempenho de produtos como laranja, mandioca, feijão e trigo, que tiveram aumentos significativos na produção.

Já o setor de serviços aumentou 0,5%, com os melhores desempenhos sendo registrados pela intermediação financeira e seguros (3,2%), serviços imobiliários e aluguel (2%) e os serviços de informação (2%), que incluem televisão, rádio, cinema e informática. Também cresceram o transporte de carga e passageiros (1,8%) e administração, saúde e educação pública (1%).

Ainda em serviços, o comércio teve redução de 1,8% e a categoria que engloba os outros serviços, como alojamento e alimentação e serviços domésticos, caiu 0,6%.